segunda-feira, 10 de dezembro de 2007


20:30hs, 10 de dezembro de 2007

Ouvindo "maxfield & harold budd - oak of the golden dreams", música eletrônica do estilo chamado "ambient".
Eu gosto. É uma música calma, lenta e flúida, mas não é líquido!

Este blog já repercutiu. Alguns amigos mandaram seus comentários (meus filhos basicamente). Outros conversaram comigo. E outros ainda me escreveram emails.

E eu gostei. Confesso que gostei. Já escuto os entendidos de astrologia dizendo que é por causa do meu Sol na casa 5. Pode ser mesmo. Eu acredito nessas e em outras coisas do gênero. Gênero esotérico, hoje já nem tanto felizmente.

O fato é que eu sentí e continuo sentindo vontade de escrever algumas palavras, colocar algo para fora (calma, calma gente!!). É um sentimento que foi forte o suficiente para me fazer vencer minha inércia, meu mêdo de me expor, de vencer minhas desculpas.

Poxa vida, porque me é tão difícil começar algo pessoal, algo em que (como sempre diz meu filho Rafael) eu tenha que "dar a cara prá bater". Eu fico pensando nisso há muito tempo.
Enfim neste fim-de-semana aconteceu. Uma força interior, uma energia psíquica, o que quer que seja me deu o "empurrão" necessário para eu começar.

Para mim e para muita gente (inclusive a semente) o começo é mais difícil. Talvez seja o movimento mais importante para a vida, para a transformação, para a renovação.
A manutenção do trabalho e a persistência no movimento ou na ação também é, mas iniciar é pior porque tem que vencer a inércia (a lei do tal Newton).

E o pior é que se você não a vence uma, duas ou mais vezes, você pode se tornar um especialista nisso e viver toda uma vida invisível ou transparente ou prá dentro. Embotado, em potencial, mas não realizando.
De fato, podemos qualquer coisa, inclusive nada! E a nossa mente sempre estará bem perto para nos ajudar com os mais válidos e inteligentes argumentos para justificar nossas "não ações".

Que coisa linda!

Eu conseguí dar um passo na direção da vontade ou do desejo do meu ser, da minha alma, ou sei lá do que, que aqui dentro de mim, se expressa e quer aparecer, renascer e evoluir nesta nova oportunidade que lhe foi dada.

Uma árvore (como a da foto; a Eneida conhece) pode ser tão linda e viva quanto nossos olhos e corações conseguirem detectar.
Mas ela, esplendorosa que é, veio de uma semente "insignificante". Não é mágico e inspirante!?

Abraços e beijos fraternos,

2 comentários:

Shakkan disse...

ola!

LoL, to com insonia hoje e com o meu dedao doendo demais. Nao sei se eu vou pro hospital ou nao.

Anyway, post filosofico esse ultimo ai hein? E puta foto legal... pena que ta em low res.

Legal que isso ai esteja servindo pra voce se abrir um pouco. Ja passei por isso e me transformou. Boa sorte.

Eneida disse...

Olá ! Pedro !

Adorável, ter tido a idéia de expor seus sentimentos com belas palavras. Demorou para sua semente nascer, mas agora nimguém (men Eu ) de segura.
É muito bom estar livre e solto para vida e para o que der e vier sem medo de Ser.
Quando deixamos espaços internos para fluir, sem resistências, não precisamos fazer esforço para as coisas acontecerem.
Parabéns.
Mil beijos!
Fique na Paz.
Eneida