domingo, 23 de dezembro de 2007

Já é Natal de novo!!

10:59hs, 23 de dezembro de 2007



O som é Blue Moon de Rodgers e Hart com Billie Holiday e é domingo de manhã, o período da semana que eu mais curto. Tranquilo, suave, leve. Menos gente acordada tem seus benefícios.

Bom, mas a realidade é que já é Natal outra vez. O tempo passa depressa. Todos têm notado sem distinção de idade. Eu acho que é a quantidade de coisas interessantes que temos à nossa disposição hoje em dia.
São muitas alternativas de lazer, de aprender, de comprar e até de buscar um caminho mais interior, reflexivo. Muitas religiões, muitas filosofias de vida, muita auto-ajuda.
Uma das palavras cujo significado parece ter muito a ver com os tempos atuais é "excesso" (nossa, escreví sem olhar no dicionário!!).
As várias opções de tudo nos dá muita liberdade de escolha, de poder buscar o mais prazeiroso, o mais confortável, o mais saudável, o mais adequado para nós em, praticamente, qualquer atividade de nossas vidas.
Isso é muito bom, é algo que nós ansiávamos no passado e que, naturalmente, fomos buscar com nossa engenhosidade.
Por outro lado, como tudo na vida, esse estado de fartura tem seu lado negativo. O excesso pode nos deixar confusos, indecisos, superficiais, ansiosos (de novo!?), sem foco, com pouca concentração nas coisas que fazemos e, principalmente, sem atenção no momento presente.
Ou seja, as coisas em si, os momentos que vivemos, as mudanças por que passamos não são boas ou más.
Esse julgamento é quase sempre feito a posteriori e depende essencialmente de nós mesmos, de nossa percepção da realidade e de nós mesmos, da intensidade de nossa dependência de nossos desejos e mêdos, de nossa atitude perante a vida e de nosso desejo de seguir em frente.
Sempre foi e sempre será assim. Essa é uma das poucas certezas que eu tenho, a de que quando o homem consegue "estar de bem" consigo, com os outras e com a vida, sua percepção de bem e de mal muda completamente. Ele passa a compreender melhor tudo que está vivendo e se deparando. Entra em harmonia consigo e com o mundo a sua volta.
A partir desse momento, começa a servir melhor a si mesmo e ao próximo. Mas esse momento só chega depois de uma longa estória de erros e acertos, de experiências doloridas ou não e de busca de algo mais significativo dentro de nosso silêncio interior.
Foi esse o caminho dos grandes avatares de nossa história. Todos passaram por sofrimento, dúvidas e quedas. Mas todos persistiram em sua busca interior durante a maior parte de suas vidas. Até que um dia eles conseguiram alcançar sua maestria.
A partir desse ponto, passaram a servir melhor ao resto de nós.
Prossigamos nós, então, em nossas jornadas em busca de nossa maestria com fé, disciplina
, atenção e alegria.
Um dia também chegaremos lá. E lá já é aqui!!

Um Natal de reflexões e alegrias entre os seus queridos é o que eu desejo.



Beijos e abraços fraternos,

3 comentários:

Eneida disse...

Pedro

Estou adorando ler suas colocações tão expressivas e com emoção.
Que bom que você está abrindo-se para o belo , para coisas simples tendo um
olhar diferente de se perceber e de se colocar nesse espetáculo que é a vida. Tudo acontecesse quando temos o amadurecimento para abrirmos nosso coração. Parabéns pela sua sensibilidade de vivenciar os momentos.

Paz Profunda !

Eneida

JUÇARA disse...

ADOREI SEU TEXTO-TEMA.
É A SUA CARA!
DE UM JEITO OU DE OUTRO,SOMOS FARINHA DO MESMO "PAR"
BJS
jUÇARA

urano10 disse...

Legal que vcs tenham gostado.
Fico feliz em sabe-lo.
Vc tem razão Jú qdo diz q somos fruto da mesma farinha.
Isso nos torna vinculados ou conectados já na origem.
Qdo olho p/vc vejo um pouco dos dois e um pouco d mim também!

bjs fraternos,