domingo, 9 de dezembro de 2007

Um cão, uma conexão com a pureza!

São 20:28hs de domingo, 09 de dezembro de 2007.

Uma noite como qualquer outra. Isto é um chavão e é mentiroso. Todos os dias são diferentes. Assim como todos nós.



Em todo caso, eu gosto muito de cães. Que eu me lembre, quase sempre tive algum. Eu quase sempre morei em casas, então meu relacionamento com eles sempre foi bastante positivo e próximo.
Tento construir um vínculo fraternal baseado no carinho e na disciplina, meio frouxa diga-se.
Não me lembro de cachorro algum que tenha me enganado ou me ferido de alguma forma. Gosto de curtir seus pequenos detalhes anatômicos, suas brincadeiras e sua lealdade.
O resultado disso é que constroe-se um relacionamento bastante profundo, como é possível se ter com um animal.
Essa aí em cima é a Dolly. É uma Teckel ou Salsicha, para os menos versados.
Ela foi (ih...!!) uma das melhores que eu já tive e que nós em casa já tivemos.
Era muito próxima a nós todos, mas sua preferida era a Eneida. Ficava junto dela a maior parte do seu tempo. Era muito ativa e comandava o que lhe era possível.
Tinha um olhar que parecia humano, daqueles bem intensos e ternos. Tinha muito envolvimento conosco, chegava a ser ciumenta e brava com os "outros".
Sempre foi muito saudável.
Um dia....acusou dor na coluna. Dois dias depois, estava paralizada do meio para tráz. Começou a se arrastar pela casa.
10 dias mais tarde foi sacrificada. Não tinha mais o que fazer, estava totalmente deprimida em sua cama.
Enterrei-a em casa num sábado à tarde. Foi-se, virou cinzas. Comida para as plantas.
Bem, bem, bem...., todos morremos, é inevitável. E a dor da perda também.
Mas os momentos bons também aconteceram e foram aproveitados ao máximo.

Não há muito o que dizer sobre isso, apenas a experiência e o contato com a vida nos torna maduros e conscientes de que o que vem, vai de volta e que a única coisa que importa é o momento presente.

Vivamo-lo sempre de forma total. Estejamos sempre alí.

Por hoje é só.

Beijos e paz profunda a todos.

5 comentários:

Shakkan disse...

OI Pai!

Que show de bola voce tem um BLOG! AE!

Esse post ai da dodó foi super legal. Me fez pensar varias coisas e ate fiquei meio depre de saber que ela se foi. Mas e isso ai curso natural: vc sempre falow que tudo acabava. E acaba mesmo.

Serei um leitor assiduo! Alias, otimo titulo tambem.

Um abracao!

urano10 disse...

Blz Rá!
Fico feliz de ter escrito algo que tenha te sensibilizado.
Vamos seguindo a vida e aproveitando as experiências.

Bjs paternos,

Maíra disse...

Pai moderno e aquariano! Adorei a homenagem a nossa querida Dolly!

Deu saudades dela... :(



Beijosssss

urano10 disse...

Oi Maíra, bjs p/vc também!

A dolly entrou em nossas vidas de forma intensa e rápida.
Infelizmente uma combinação chata.

kisses, kisses, ....

Niudomar disse...

Pedro, também convivi com cães toda a minha vida, até passar a morar em apartamento. Sinto muita falta. Acho que o tempo de vida mais curto deles nos ensina muito. Parabéns a você por aproveitar a oportunidade.
Grande abraço.
Niu.